Um diagnóstico revelará quanto está lhe custando. O progresso para um nível mais alto de manutenção de instalações começa com uma avaliação das práticas e desempenho atuais

Um diagnóstico abrangente de manutenção compara as atividades atuais com atores  de classe mundial e mostra como eliminar as lacunas.

Quando avaliamos operações de manufatura com desempenho insatisfatório, quantificamos o potencial de melhoria de desempenho e os custos de correção de equipamentos com manutenção deficiente. Esses custos podem ser significativos em uma ampla rede de instalações.

Atributos comuns de empresas que precisam de suporte na manutenção de instalações incluem:

  • Indústrias de capital intensivo com forte dependência de equipamentos industriais
  • Empresas onde matérias-primas caras representam uma grande porcentagem dos custos diretos
  • Indústrias que apresentam riscos de custo significativos devido à má qualidade, sucata excessiva, retrabalho, tempo de inatividade ou incapacidade de atender às necessidades de entrega do cliente.
  • Líderes de manutenção com forte aptidão técnica, mas que não possuem liderança, desenvolvimento de funcionários e habilidades de planejamento.

Se você estiver vendo alguns dos sinais de aviso de que a manutenção está se tornando um problema, um diagnóstico abrangente de manutenção deve ser necessário.

Elementos de um diagnóstico de manutenção de 10 pontos

Um diagnóstico focado das práticas de manutenção no nível da instalação ou da empresa cobrirá as 10 áreas principais:

  • Segurança
  • 5S
  • Indicadores de manutenção
  • Manutenção de instalações
  • Manutenção de equipamento
  • MRO  (Manutenção, Reparo e Revisão geral)
  • Gerenciamento de informações
  • Gerenciamento de Ordem de Serviço
  • Organização de manutenção
  • Cultura

Manutenção produtiva total e práticas autônomas também podem ser avaliadas.

O objetivo do diagnóstico é determinar se uma organização de manutenção possui os recursos, a liderança e a disciplina do processo necessários para atender às entregas operacionais. Cada área precisa ser avaliada com base na maturidade, talento, uso de ferramentas, ser dono do processo e desempenho.

Os três níveis de maturidade da manutenção:

  1. Fase inicial: Vivendo em estado reativo com maior frequência de quebras de equipamentos e altos custos de manutenção
  2. Estágio de nível intermediário: operando em um estado preventivo e mais proativo, com menos avarias e atividades de manutenção mais planejadas
  3. Estágio de excelência: trabalhando em um estado mais avançado, com um alto grau de sofisticação, com a capacidade de alavancar dados e análises para impedir ou até prever avarias.

O diagnóstico do programa de manutenção de uma instalação começa com uma revisão das métricas atuais. As métricas de desempenho usadas variarão com base no nível de maturidade da manutenção da organização. As métricas comuns incluem: custos gerais de manutenção, porcentagem de trabalho corretivo e preventivo, porcentagem de horas extras, giro de estoque, porcentagem de trabalho de emergência, eficácia geral do equipamento, tempo de atividade / tempo de inatividade, tempo médio entre falhas, registros de manutenção e assim por diante. Examinamos quão sofisticadas são as métricas, com que frequência são atualizadas e como são usadas e comunicadas aos membros da equipe.

Ao revisar as práticas de manutenção de equipamentos, verificamos o tempo de atividade e os relatórios de manutenção preventiva. Observamos as práticas de comunicação entre o pessoal do departamento de manutenção e com outras funções. Andando pelo chão da fábrica, procuramos condições de excesso de graxa, ferramentas e peças de reposição espalhadas e se o equipamento está funcionando. Caso contrário, perguntamos há quanto tempo está inoperante. Se a manutenção estiver em andamento, veremos quantos associados estão envolvidos e se todos estão agregando valor.

A duração do diagnóstico variará dependendo do escopo, complexidade e dados disponíveis. A análise final quantifica o impacto negativo dos níveis de desempenho atuais. Em seguida, identificamos oportunidades de melhoria, as possíveis economias de custo e ganhos de desempenho (em qualidade, produtividade, utilização de ativos, etc.). O plano antecipado detalhará as próximas etapas e estimará o tempo de correção, os requisitos de recursos externos e quaisquer outras despesas. O primeiro passo para “a grande virada” de uma equipe de manutenção em dificuldades é entender o estado atual e o potencial de melhoria. Um diagnóstico abrangente detalhará as oportunidades atuais de melhoria  e os resultados financeiros de investir em um departamento de manutenção mais eficaz.