É possível que algo que foi pré-fabricado e que haja milhares de peças idênticas possam ser entregues com acabamentos exclusivos, de alta qualidade e em tempo recorde? A resposta é sim.

Construção industrializada versus construção tradicional, complemento ou substituto?

A construção é uma indústria que está passando por uma forte transformação em todo o mundo, hoje, alguns métodos e técnicas tradicionais estão sendo deixados para trás para abrir caminho para tecnologias inovadoras que automatizam os processos. Então por que há tanta resistência à sua implementação? Nós contaremos.

Ironicamente, o grande inimigo dos processos industrializados na América Latina é a resistência à mudança. Para muitos arquitetos e construtores, a ideia de ir para a indústria de construção industrializada como um método de economia de desperdícios, tanto no tempo, como em problemas de segurança, assim como, garantir a qualidade dos produtos e acabamentos, é muito complicado de entender.

As vantagens da construção industrializada

Você seguramente já ouviu comentários em que você se questiona como é possível que algo que foi pré-fabricado e que existem milhares de peças idênticas possam ser entregues com acabamentos exclusivos, com ótima qualidade e em tempo recorde. A resposta é sim.

A indústria de construção industrializada se especializou muito além de montar painéis de suporte idênticos entre si, hoje inclui a mecanização de técnicas de construção e tem uma relação direta com a pré-fabricação, que é a produção de elementos construtivos fora ou no pé da obra.
Quando esses elementos construtivos são produzidos em série, eles são industrializados e sua fabricação segue processos industriais. Esta forma de construir é muito mais racional que os sistemas tradicionais e envolve uma série de vantagens que permitem construções rápidas, com maior qualidade e mais economia, entre outras se destacam:

  • Redução nos tempos de execução
  • Baixa taxa de acidentes de trabalho
  • Eliminação de desperdícios
  • Maior produtividade, já que não se depende das condições meteorológicas para a fabricação das peças.

Por que não existem dados sobre a aplicação generalizada?

A pesar das vantagens que oferece, a pré-fabricação não foi capaz de se consolidar nos países da região, por exemplo, no México somente 2% das construções utilizam essa tecnologia, enquanto na Europa, mais de 50% dos desenvolvimentos são feitos com estes pré-fabricados. O problema reside principalmente, como já mencionamos, na resistência à mudança, no desconhecimento da técnica e nos produtos pelos arquitetos e engenheiros, mas também na falta de mão de obra qualificada.

A verdade é que a construção industrializada não substitui a tradicional, simplesmente devem trabalhar em conjunto para obter melhores resultados e muito mais produtividade.

Quem disse que com processos e materiais menos inovadores não é possível fazer construções de luxo com baixo orçamento?

Se você deseja melhorar os processos em sua empresa e dar esse salto em direção à construção industrializada, nós da TBM podemos apoiá-lo. Nossos especialistas ajudarão você a dar o passo necessário para ser mais produtivo.